Planos de saúde suspensos

AANS divulgou uma nova lista de “punição” as supostas Operadoras de planos de saúde que estariam descumprindo regras de não atendimento, negativa de coberturas, etc.

duvidoso

O que não foi divulgado pela mídia em geral,  é que no mesmo dia em que a agência suspendeu a venda de alguns planos de saúde outros foram liberados para comercialização. Os planos de saúde liberados estão notadamente  descumprindo o seu dever junto aos clientes, infelizmente não podemos divulgar o nome destas operadoras, mas uma delas deve mais de R$ 500 milhões, e seus clientes em sua maioria não conseguem marcar consultas com menos de 30 dias, e a pergunta que não quer calar é como esta empresa foi liberada a venda?

Como pode uma Seguradora que está sempre entre as mais bem conceituadas do setor, ter uma ou outra categoria “suspensa” a venda?

O que notamos é que falta critério da agência em organizar e regular o setor, as reclamações feitas por usuários possuem duplicidade de solicitação o que causa uma distorção no resultado e para piorar a ANS não organiza o número de protocolos, ou seja o mesmo cliente pode abrir quantas reclamações quiser sobre o mesmo assunto, até por falta de orientação da agência.

A ANS divulga índices que não servem de parâmetro, um dado importante, a  3ª operadora em número de reclamações na ANS não teve seus planos de saúde suspensos, será que é por que um dos atuais diretores da ANS foi  “advogado” da operadora antes de ingressar na ANS.

As reclamações deveriam ser no mínimo divulgadas com um filtro, reajustes, negativa de cobertura, prazo irregular para agendamento de atendimentos, etc.

O público ontem ficou sem entender o que de fato está por trás da suspensão dos planos, visto que o atual Ministro da Saúde é um dos candidatos ao Governo do estado de São Paulo, e claro quando aparece uma notícia destas são muitas entrevistas, e dá-se a entender que o sr Ministro está do lado do consumidor.

Mas no exemplo diário, todas as empresas que merecidamente ou não, durante a suspensão de vendas não melhoraram em nada o atendimento ao público, ao contrário ainda pioraram, pois criou-se uma pânico entre seus usuários, havendo com isso evasão de clientes saudáveis.

Antes e julgar seu plano de saúde, faça sua própria avaliação, converse com seu Corretor de Seguros, com seu médico, e reflita se o que está acontecendo não é mais evento político, fruto já da campanha eleitoral de 2014.

 

Compartilhe

Enviar Comentário